Alunos fazem arrecadação para orfanato na Índia

Cerca de 90 alunos do Ensino Médio criaram o projeto “A Brick for India” para arrecadar dinheiro para a construção de um orfanato indiano. A ideia surgiu a partir do estudante Patrick Sewell, da 3.a série, que mantinha contato com uma ONG no local. Em julho desse ano, o estudante fez intercâmbio voluntário no país e queria continuar ajudando as crianças de lá, mesmo estando no Brasil. 001

Movidos pela pergunta “Quem quer muito ajudar crianças na Índia?”, postada por Patrick em um grupo das 3.as séries no facebook, os estudantes se reuniram e marcaram encontros no Band para definir como conseguiriam os recursos para enviar à ONG. Rifas, aulas particulares, divulgação em sala e workshops estiveram entre os meios encontrados pelos alunos para, enfim, arrecadar todo o dinheiro necessário para o fim da construção do orfanato. 002

No Ensino Fundamental, o projeto teve apoio das alunas Elizabeth Kim, Vitória Ortiz, Julia Baik e Anna Wakamatsu, do 7.o ano, que souberam da ação através da professora Carolina Oreb, de Ciências. Elas foram responsáveis por divulgar o “A Brick for India” na Feira de Ciências, já que a pesquisa delas envolvia a construção de equipamentos escolares através de materiais recicláveis e de baixo custo, e também passar nas salas do Fundamental para falar da arrecadação.

003

“Mesmo já sendo no final do ano e com provas, todo muito estava bem animado em ajudar”, contou o aluno. “Eu fiquei muito feliz que a gente conseguiu atingir a nossa meta. Foi muito bom ver todo mundo trabalhando junto por um objetivo comum e que fizesse bem a outras pessoas”, completou.

004

Para o futuro, os alunos esperam poder ajudar outras causas com o projeto. Os próximos planos de ação já estão sendo discutidos entre os estudantes, que agora querem se voltar para o Brasil. “ Muita gente percebeu que queria fazer algo para mudar a realidade aqui, não só de outro país. A gente queria fazer algo próximo que talvez desse para visitar e entrar em contato com as pessoas atingidas”, acrescentou Patrick.

Para conferir a página do projeto no Facebook, clique aqui.